Instituto Açoriano de Cultura Página inicial | Arquivo de Newsletters | Associe-se | Contactos | Mapa do site
Newsletter
 
 

N.º 26  04/10/2005

ARQUITECTURA CONTEMPORÂNEA
Mesa-redonda com os arquitectos Manuel Graça Dias e Egas José Vieira


Numa iniciativa conjunta do IAC-Instituto Açoriano de Cultura, da Delegação dos Açores da Ordem dos Arquitectos e da Galeria Fonseca Macedo, tem lugar, pelas 21H00 da sexta-feira dia 7 de Outubro no Hotel do Colégio, em Ponta Delgada, e posteriormente pelas 15H00 do sábado dia 8 de Outubro no Auditório do Museu de Angra do Heroísmo, uma mesa-redonda com os prestigiados arquitectos Manuel Graça Dias e Egas José Vieira. Esta iniciativa tem por objectivo proporcionar a reflexão pública sobre o lugar da arquitectura contemporânea nas cidades, bem como sobre a problemática da qualidade na arquitectura contemporânea e do seu espaço de intervenção. Esta mesa-redonda dá continuidade a um projecto que vem sendo desenvolvido desde 2001 pelo IAC-Instituto Açoriano de Cultura e pela Casa da Cultura da Terceira, através do qual estiveram já nos Açores arquitectos portugueses de reconhecido mérito nacional e internacional.

Esta mesa-redonda será uma viagem, em sistema power-point, comentada pelos autores, através de alguns dos projectos mais recentes do atelier lisboeta Contemporânea, criado pelos arquitectos Manuel Graça Dias e Egas José Vieira em 1990.

Desde objectos já construídos (grande conjunto habitacional do Salgueiral em Guimarães, a Galeria Verdeperto, em Lisboa), ou o recém inaugurado Teatro Municipal de Almada, a situações ainda em projecto (moradias para o Bom Sucesso em Óbidos, Museu do Azeite em Mirandela ou edifício gaveto na Avenida Casal Ribeiro, em Lisboa), passando por obras neste momento a decorrer (edifício de habitação de férias na Costa da Caparica, Escola de Música, Artes e Ofícios de Chaves ou a Biblioteca/refeitório da Universidade Egas Moniz, no Monte da Caparica), serão mostrados e contextualizados nove projectos, abrangendo programas diferenciados e localizados em situações urbanas distintas, a partir dos quais os arquitectos estabeleceram e ancoraram as suas escolhas e decisões.

A realização desta mesa-redonda tem o apoio da Direcção Regional da Cultura, do Museu de Angra e do Hotel do Colégio.

Nota Biográficas

Manuel Graça Dias nasceu em Lisboa, em 1953.
É arquitecto (Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa, 1977), foi assistente da Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa (entre 1985 e 1996) sendo, actualmente, Professor Auxiliar Convidado da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (desde 1997) e Professor Associado Convidado do Departamento de Arquitectura da Universidade Autónoma de Lisboa (desde 1998).
Vive e trabalha em Lisboa onde criou, em 1990, o atelier Contemporânea, com Egas José Vieira. A casa que recuperou em 1979, na Graça, em Lisboa, em associação com António Marques Miguel, recebeu a Menção Honrosa Valmôr (1983); obteve ainda o 1º lugar no concurso para o Pavilhão de Portugal na Expo'92, Sevilha (1989), bem como no concurso para a construção da nova sede da Associação dos Arquitectos Portugueses / Banhos de S. Paulo, em Lisboa (1991), ambos em associação com Egas José Vieira.
Tem escritos variadíssimos artigos de crítica e divulgação de arquitectura em jornais e revistas da especialidade (desde 1978), sendo solicitado para um vasto número de conferências, quer em Portugal quer no estrangeiro; foi autor de um programa quinzenal na RTP2 (1992/1996), colaborador da rádio TSF com programas regulares de divulgação de arquitectura (1995/1999) bem como Director do Jornal Arquitectos, órgão da Ordem dos Arquitectos (2000/2004), sendo, actualmente, colaborador regular do semanário Expresso na área da crítica de Arquitectura.

Egas José Vieira nasceu em Lisboa, em 1962.
É arquitecto (Faculdade de Arquitectura / Universidade Técnica de Lisboa, 1985), foi Professor Auxiliar Convidado da Escola Superior de Arte e Design das Caldas da Rainha (1997/2001), sendo, actualmente, Professor Auxiliar Convidado do Departamento de Arquitectura da Universidade Autónoma de Lisboa (desde 1998). Vive e trabalha em Lisboa.
Ficou classificado em 2º lugar no concurso para a ampliação da Sede da Ordem dos Engenheiros em Lisboa (1987), em associação com Pedro Ucha.

Manuel Graça Dias e Egas José Vieira (MGD + EJV) têm trabalhos construídos em Lisboa, Almada, Porto, Guimarães, Chaves e Sevilha que têm sido objecto de publicação na imprensa especializada e têm vindo a ser mostrados (desde 1978) em exposições colectivas e individuais.

Autores do polémico Estudo de Reconversão Urbana do Estaleiro da Lisnave, em Almada, MGD + EJV ocupam-se, actualmente, entre outros, dos projectos do novo campus para a universidade Egas Moniz, no Monte da Caparica, de um enorme conjunto habitacional (427 fogos) para Guimarães, do Museu do Azeite em Mirandela, do plano para a aldeia da Estrela (Alqueva), da Escola de Música, Artes e Ofícios de Chaves, bem como de um gaveto de habitação na Avenida Casal Ribeiro, em Lisboa.

MGD + EJV ganharam o Prémio Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA) / Ministério da Cultura (Arquitectura), relativo a 1999, pelo conjunto da sua obra.