Instituto Açoriano de Cultura Página inicial | Arquivo de Newsletters | Associe-se | Contactos | Mapa do site
Newsletter
 
 

N.º 12  16/03/2006

El Silbo Gomero Espetáculo Multimédia


O IAC-Instituto Açoriano de Cultura, no âmbito da execução do PAAD-Projecto Atlântico de Arte Digital, apresenta, na Carmina Galeria, no próximo dia 18 pelas 22h00, o espectáculo multimédia El SiIbo Gomero.

A actuação do grupo Artenara (Nova Música Canarina) conta com um músico que toca instrumentos tradicionais das Canárias, um silbador de Silbo Gomero e um suporte audiovisual através do qual os presentes poderão ver imagens das ilhas Canárias e ler os poemas que serão interpretados pelo silbador.

Do silbo não constam palavras, apenas assobios que podem ser ouvidos a três ou quatro km de distância nas montanhas da ilha de La Gomera, Canárias. Esta linguagem é constituída por cinco vogais e quatro consoantes, que podem ser combinadas de modo a formar cerca de 4000 “palavras”. A combinação destas vogais e consoantes aliada ao ritmo, pausas, frequência, entoação, interrupções e a duração dos sons resulta no que se designa por silbo.

O silbo era utilizado diariamente até à década de cinquenta do século passado. Relatos mais recuados descrevem que o silvo podia ser ouvido durante todo o dia e mesmo à noite. Através dele se noticiavam mortes e nascimentos, desaparecimentos e mesmo as aproximações de embarcações suspeitas.

O decréscimo na sua utilização deu-se a partir dos anos 50 do século XX por razões várias, entre elas a emigração, o desaparecimento do pastoreio e os novos meios de comunicação. Todavia, o silbo não desapareceu por completo existindo motivações crescentes para a sua preservação. Nas escolas, as crianças aprendem a silbar em aulas semanais de cerca de 30 minutos.

Esta é mais uma das actividades que o IAC-Instituto Açoriano de Cultura desenvolve no âmbito do PAAD-Projecto Atlântico de Arte Digital, de que é chefe de fila. Para além do IAC-Instituto Açoriano de Cultura, participam também neste projecto a Universidade da Madeira, a Almasud Records (Madeira), a Direcção Geral do Património Histórico do Governo das Canárias e os Cabildos de Gran Canaria e Lanzarote (Canárias). Este projecto, orçado no seu total em cerca de 2 milhões de euros, é financiado em 85% pelo INTERREG III-B (Açores, Madeira, Canárias).

A realização deste espectáculo multimédia nos Açores, numa produção conjunta do IAC-Instituto Açoriano de Cultura e da Direcção Geral do Património Histórico do Governo das Canárias, insere-se no projecto de apresentação por aquele Governo da candidatura do El Silbo Gomero a Património Imaterial da Humanidade, junto da UNESCO.