Instituto Açoriano de Cultura Página inicial | Arquivo de Newsletters | Associe-se | Contactos | Mapa do site
Newsletter
 
 

N.º 23  13/09/2005

Inventário do Património Imóvel do Concelho de Vila do Porto

No passado dia 11 de Agosto, por ocasião das festas municipais de Vila do Porto, foi apresentado ao público no Salão Nobre dos Paços do Concelho daquela vila o livro do Inventário do Património do Imóvel do Concelho de Vila do Porto.

A apresentação contou com uma conferência audiovisual sobre o património imóvel de Vila do Porto proferida pelo Arq. João Vieira Caldas, consultor deste projecto e professor de Arquitectura do Instituto Superior Técnico.

Com a publicação deste livro – o séptimo da colecção do Inventário do Património Imóvel dos Açores (depois dos de São Roque, Lajes e Madalena, da ilha do Pico, do Corvo, da Horta e da Praia da Vitória) – ficam registados, e acessíveis ao público em geral, os elementos referentes às 129 espécies inventariadas e que constituem o melhor que o concelho de Vila do Porto tem no âmbito do seu património arquitectónico.

O livro, que tem cerca de 230 páginas, para além de integrar um texto metodológico sobre o projecto assinado por Jorge Paulus Bruno, Coordenador do Projecto do Inventário do Património Imóvel dos Açores e Presidente da Direcção do IAC-Instituto Açoriano de Cultura, contém ainda textos de Luísa Noronha (Sobre a história da Ilha de Santa Maria. Algumas notas acerca das relações dos homens com o meio), José Manuel Fernandes (Vila do Porto e o Bairro do Aeroporto) e João Vieira Caldas (A Casa de Santa de Maria). São ainda publicados 13 mapas com a localização genérica dos 129 casos inventariados, as suas respectivas fichas descritivas e um pequeno glossário.

Numa publicação conjunta da Direcção Regional da Cultura, do IAC-Instituto Açoriano de Cultura e da Câmara Municipal de Vila do Porto, o livro, que abre com três textos destes seus editores, contém um número considerável de imagens que resultam de uma cuidadosa selecção de entre as cerca de duas mil fotografias e diapositivos recolhidos durante a campanha de terreno.

Conforme se pode ler no texto assinado por Jorge Bruno, «este é o concelho onde se encontram os mais antigos vestígios da ocupação humana destas ilhas açorianas. A este factor acresce ainda o facto desta ilha (ao contrário da maioria das restantes) apresentar uma persistência material dessas expressões, uma vez que não foi submetida a sismos ou erupções vulcânicas que lhe tivessem provocado momentos de significativa destruição ao nível do seu parque edificado.»

Esta obra encontra-se à venda na Livraria Virtual