Instituto Açoriano de Cultura
Página inicial | Arquivo de Newsletters | Associe-se | Contactos | Mapa do site
Galeria de Presidentes
Projectos Agenda Livraria virtual o IAC
 
 
Galeria dos Antigos Presidentes
 

 

Galeria dos Antigos President


MONSENHOR JOSÉ MACHADO LOURENÇO
Presidente da Direcção do IAC entre 1956 a 1978
 

MONSENHOR JOSÉ MACHADO LOURENÇO
(Presidente da Direcção do IAC entre 1956 a 1978)

José Machado Lourenço nasceu na Freguesia das Cinco Ribeiras, Ilha Terceira, a 12 de Agosto de 1908. Com apenas 10 anos de idade, partiu para Macau, onde frequentou o Seminário de São José. Foi ordenado em 16 de Agosto de 1931 e celebrou a sua «Missa Nova» a 20 de Agosto do mesmo ano. Passou os primeiros anos de vida missionária em Singapura, tendo, a partir de 1935, exercido as funções de secretário particular de D. José da Costa Nunes, então Bispo de Macau. Depois da sua licença graciosa, em 1938, foi novamente colocado em Singapura, de onde transitou para Goa, ainda como secretário do mesmo D.José, nomeado Arcebispo e Patriarca das Indias Orientais.
Tendo-se aposentado em 1947, regressou definitivamente à Ilha Terceira, vindo então a leccionar no Seminário Diocesano (Inglês, Português, Latim e História da Igreja) e no Liceu de Angra (Inglês e Francês).
Em 1956, foi sócio fundador do Instituto Açoriano de Cultura, de cujas sucessivas Direcções foi dedicado presidente, até 31 de Maio de 1978, ao mesmo tempo que dirigia a revista «Atlântida», orgão da mesma instituição cultural, na altura com a periocidade de dois meses. Continuou, porém, ligado ao IAC, quer como presidente da Assembleia Geral quer como colaborador de prestígio. À margem do seu missionato, foi ainda Director do vespertino «A União» (Angra do Heroísmo) e assistente do Capelão americano da Base das Lajes.
Nomeado Monsenhor, por Pio XII, em 22 de Abril de 1947, e Cónego da Sé Catedral de Angra, por D. Manuel Afonso de Carvalho, em 1956, viria também a ser agraciado pelo Presidente da República Portuguesa com a comenda de Santiago da Espada. Foi autor de diversos livros de poesia e prosa, de entre os quais destacamos: A Mãe do Amor, Aleluias de Alma, Lusa Estrela, Vida Divina, O Padroado Português do Oriente, O Romance de Um Malaio, Victória, Beato João Baptista Machado de Távora - Mártir do Japão, Por Terras do Sagrado Ganges, Benedicite, Os Lusíadas, Poema Católico e Regras de Gramática da Língua Inglesa. Faleceu na Ilha Terceira, a 14 de Janeiro de 1984.

     

MONSENHOR AUGUSTO MANUEL DE ARRUDA CABRAL
Presidente da Direcção do IAC entre 1978 a 1985
 

MONSENHOR AUGUSTO MANUEL DE ARRUDA CABRAL
(Presidente da Direcção do IAC entre 1978 a 1985)

Augusto Manuel de Arruda Cabral nasceu a 16 de Janeiro de 1937, na Fazenda do Nordeste, Ilha de S. Miguel. Tendo feito os seus estudos no Seminário Diocesano de Angra, foi ordenado sacerdote a 5 de Junho de 1960. Designado Examinador do Clero e Vice-Reitor do Seminário Maior, licenciou-se em Pedagogia pela Universidade de Salamanca, em 1973, data em que foi nomeado Reitor daquele estabelecimento de ensino religioso.
Escolhido, dez anos depois, para Cónego da Sé Catedral de Angra e nomeado Monsenhor, foi Vigário Geral da Diocese e Arcediago do Cabido da mesma Sé, em 1989 e 1992, respectivamente.
Entretanto, desempenhou o Monsenhor Augusto Cabral importantes funções, dentro e fora do seu múnus eclesiástico, como as de membro do Conselho Administrativo da Diocese, Presidente da Comissão Diocesana de Arte Sacra e Presidente da Direcção e da Assembleia Geral do Instituto Açoriano de Cultura, em diversos mandatos, desde 1978 até ao presente.

     

JOSÉ GUILHERME REIS LEITE
Presidente da Direcção do IAC entre 1985 e 1990
 

JOSÉ GUILHERME REIS LEITE
(Presidente da Direcção do IAC entre 1985 e 1990)

José Guilherme Reis Leite nasceu a 25 de Dezembro de 1943, em Angra do Heroísmo, onde concluiu os estudos secundários, tendo-se licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa, em 1968. Personalidade conhecida da vida cultural e política, tem desempenhado funções directivas a nível de estruturas partidárias regionais e nacionais. Com efeito, desde 1978, exerceu cargos na Comissão Política Regional dos Açores do PSD, nomeadamente o de vice-presidente (1980-1992) e o de presidente da Mesa do Congresso, desde 1992. Foi Secretário Regional da Educação e Cultura do primeiro e do segundo Governo Regional dos Açores, tendo em 1984 e em 1988, sido eleito deputado à Assembleia Regional dos Açores pelo círculo da Terceira e Presidente da mesma Assembleia em ambos os mandatos. É, actualmente, deputado à Assembleia da República pelo círculo dos Açores. Membro da Assembleia Geral do Conselho da Europa e da Comissão Europeia Ocidental, pertence também à Comissão dos Negócios Estrangeiros da Assembleia da República e da Comissão Eventual para o Acompanhamento da Situação em Timor Leste.
Entre 1985 e 1990, foi presidente da Direcção do Instituto Açoriano de Cultura e director da revista «Atlântida», órgão desta instituição cultural, tendo sido um dos organizadores das VIII e IX Semanas de Estudos dos Açores, subordinadas, respectivamente, aos temas «A Autonomia como Fenómeno Político e Cultural» e «Conhecimento dos Açores Através da Literatura».
Participou em diversos colóquios, congressos, seminários, semanas de estudo, etc., tendo numerosa colaboração dispersa por várias revistas dos Açores, do Continente e do Estrangeiro, sobre assuntos de natureza histórica, literária e política, de que naturalmente se destacam os que dizem respeito ao processo autonómico dos Açores.
É nesta sequência de importantes estudos sobre a autonomia como fenómeno cultural e político que, em 1994, apresenta, na Universidade dos Açores, a tese de doutoramento intitulada Política e Administração nos Açores de 1890 a 1910 - O Primeiro Movimento Autonomista, obra histórica de grande fôlego, publicada com prefácio de A.H. de Oliveira Marques (Ponta Delgada, 1995).
É também de sua responsabilidade a organização, prefácio e notas de Autonomia dos Açores na Legislação Portuguesa de 1892 a 1947, editada pela Assembleia Legislativa Regional dos Açores em 1987.
Autor de diversos livros e opúsculos, destacam-se da respectiva bibliografia: Os Fishers - esboço histórico de uma Família Açoriana, Angra do Heroísmo, 1978; António Cordeiro e uma proposta de Autonomia para os Açores no século XVIII, Angra do Heroísmo, 1978; A luta pelo Governo Autónomo nos Açores: uma sentença do Desembargo do Paço a favor da Nobreza de Angra, no século XVIII, Angra do Heroísmo, 1984; As Fontes de Francisco Ferreira Drumond nos Anais da Ilha Terceira, Angra do Heroísmo, 1985; O códice «529 - Açores» do Arquivo Histórico Ultramarino: A Capitania Geral dos Açores, Angra do Heroísmo, 1988; José Agostinho, Autonomista, Angra do Heroísmo, 1988.

     

JORGE AUGUSTO PAULUS BRUNO
Presidente da Direcção do IAC entre 1990 a 2009
 

JORGE AUGUSTO PAULUS BRUNO
(Presidente da Direcção do IAC entre 1990 a 2009)

Jorge Augusto Paulus Bruno, natural da ilha Terceira, nascido em 13 de Junho de 1959, casado e pai de dois filhos.
Licenciou-se em História pela Universidade dos Açores em 1981, tendo desempenhado, desde essa data, cargos de responsabilidade executiva e política, nomeadamente como Director Regional dos Assuntos Culturais, Director Regional de Segurança Social, Vice-Presidente do Serviço Regional de Protecção Civil e Director de Serviços de Organização e Planeamento na área da Saúde, na Região Autónoma dos Açores. No início da sua carreira, desempenhou as funções de Chefe de Gabinete dos Secretários Regionais da Educação e Cultura dos II e III Governos Regional dos Açores.
Pertence ao quadro de pessoal técnico superior, na categoria de assessor principal, da Direcção Regional da Cultura e é membro de pleno direito de diversas instituições culturais.
Frequentou cursos e acções de formação em instituições regionais, nacionais e estrangeiras nas suas áreas de especialidade.
É autor de vários artigos e apresentou diversas comunicações e conferências, no país e no estrangeiro, nas áreas cultural, de emergência médica, protecção civil, segurança social e acção social.
Assume a presidência do IAC-Instituto Açoriano de Cultura de 1990 a 2009 e da “Atlântida – Revista de Cultura”, órgão deste Instituto vocacionado para a promoção de todas as formas de cultura.
Foi o coordenador do projecto do Inventário do Património do Património Imóvel dos Açores, cuja execução está a cargo do IAC-Instituto Açoriano de Cultura com financiamento da Direcção Regional da Cultura do Governo Regional dos Açores.
Representou o IAC-Instituto Açoriano de Cultura na gestão do Projecto Atlântico de Arte Digital (PAAD), que integrou parceiros da região da Macaronésia e foi executado com financiamento proveniente do INTERREG III-B, Açores, Madeira, Canárias (FERDER), no âmbito do qual o IAC foi “chefe de fila”.
Coordenou a gestão do projecto Chronos (que visa a criação de uma plataforma de e-learning com conteúdos relativos à História e Cultura dos arquipélagos na Macoronésia), do qual o IAC-Instituto Açoriano de Cultura é “chefe de fila” e cuja execução conta com financiamento proveniente do INTERREG III-B, Açores, Madeira, Canárias (FERDER), envolvendo parceiros dos arquipélagos dos Açores, Madeira, Canárias e Cabo Verde.
Actualmente, é Presidente da Assembleia-Geral do IAC-Instituto Açoriano de Cultura, da Agência para o Desenvolvimento da Cultura nos Açores (ADCA) e da Azores Film Commission e Vice-Presidente da Agência de Desenvolvimento Sustentável de Cabo Verde (ADESCAVE).
Desde 2005, exerce as funções de Director do Museu de Angra do Heroísmo.

     

PAULO ALEXANDRE VILELA MARTINS RAIMUNDO
(Presidente da Direção do IAC entre 2009 a 201
6)
  PAULO ALEXANDRE VILELA MARTINS RAIMUNDO
(Presidente da Direção do IAC entre 2009 a 2016)

Licenciado em engenharia civil.
Pertence ao quadro de pessoal da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo desde agosto de 1985, onde desempenhou funções de Chefe de Divisão de Serviços Urbanos desde 1989 a 2001 e Chefe de Divisão de Obras Municipais de 2001 a 2009.
Tem desenvolvido a sua atividade nas áreas de projeto (estradas e edifícios), gestão e fiscalização de empreitadas, avaliação imobiliária e formação.
De janeiro de 2009 a 27 de julho de 2013 desempenhou as funções de Diretor de Serviços dos Bens Patrimoniais e de Ação Cultural da Direção Regional da Cultura – Presidência do Governo Regional dos Açores.
De 28 de julho de 2013 a 31 de janeiro de 2014 desempenhou as funções de Diretor de Serviços de Património da Direção Regional da Cultura – Secretaria Regional da Educação, Ciência e Cultura – Governo Regional dos Açores.
A partir de 1 de fevereiro de 2014 reingressou ao serviço da Câmara Municipal de Angra Heroísmo.
Integrou a Comissão de Coordenação da Carta Arqueológica Subaquática dos Açores, na qualidade de coordenador, por despacho do Presidente do Governo Regional dos Açores, datado de 4 de agosto de 2009.
Foi membro do Conselho Consultivo do Parque Natural da ilha do Pico, de 29 de abril de 2011 a 31 de janeiro de 2014.
Foi nomeado representante do Governo Regional dos Açores, no Conselho Nacional da Cultura - seção do património arquitetónico e arqueológico, por despacho do Presidente do Governo Regional dos Açores, datado de 7 de novembro de 2013.
Paralelamente à sua atividade profissional (no setor público e privado), tem atuado no âmbito associativo em diversas coletividades, entre as quais se destacam algumas de intervenção na área cultural:
Pertenceu à direção da Oficina D’Angra – Associação Cultural, de 1986 a 2000, tendo sido presidente da mesma no biénio de 1998 a 2000.
Foi membro efetivo da Assembleia Geral das Pépinières Européennes pour Jeunes Artistes (rede europeia de incentivo aos jovens criadores), de 1998 a 2000.
No âmbito do IV Programa promoveu a concretização de 2 residências artísticas na ilha Terceira- Angra do Heroísmo, com 4 meses de duração, deTim Maslen / Austrália e Elizabeth Caffrey / Irlanda, das quais resultaram diversas exposições, instalações e uma peça de arte pública na Praça Almeida Garrett – Angra do Heroísmo (Tim Maslen), associadas a um catálogo conjunto dos dois artistas.
Tem sido membro da direção do Instituto Açoriano de Cultura desde janeiro de 2001, desempenhando desde janeiro de 2009 o cargo de presidente da mesma.
Tem promovido diversas intervenções na área das artes plásticas, ao nível de realizações de acolhimento de artistas em residência na Região Autónoma dos Açores, exposições, instalações, etc.
Tem participado em alguns júris de concursos, entre os quais se destacam:
Júri internacional para a seleção de artistas a premiar com residências no âmbito do IV Programa das Pépinières Européennes Pour Jeunes Artistes (rede europeia de incentivo aos jovens criadores) – 1999 (Paris – França).
Júri internacional do Certame Macaronésio de Jovens Artistas - área de artes plásticas, promovido pelo Cabildo de Lanzarote – Canárias – 2004 (Lanzarote – Canárias – Espanha).
Júri do concurso de fotografia “VIDERE [83-08] – Património Edificado e suas Vivências”, promovido pelo IAC e integrado no programa de comemorações dos 25 anos de classificação do centro histórico de Angra do Heroísmo pela UNESCO. 

 

Apresentação
Galeria de Presidentes
Estatutos
Orgãos Sociais
Projecto Cultural IAC
Relatórios de Actividades
Última actualização em 2017-03-08